Início Destaque Câmara se solidariza com as comunidades de Jauá e Arembepe

Câmara se solidariza com as comunidades de Jauá e Arembepe

0
Foto: ASCOM

A Câmara Municipal de Camaçari se solidariza com as comunidades de Jauá e Arembepe, orla do município, especialmente, com os pescadores, barraqueiros e demais comerciantes das localidades, que sofrem com a frente fria que está, há alguns dias, sobre o litoral da Bahia, causando prejuízos materiais aos mesmos.

Devido as fortes ondas ocasionadas pelo vento, partes da estrutura de alguns estabelecimentos localizados na praia, como bares, restaurantes e hotéis, além de coqueiros, calçada e embarcações, foram destruídas. Por conta disso, as atividades no mar foram suspensas, e os pescadores retiraram os barcos da faixa de areia para evitar mais danos às embarcações.

De acordo com a Defesa Civil, foram notificadas ondas de quatro metros e rajadas de vento de 70 Km/h na orla camaçariense. Apesar do incidente, não houve registro de vítimas ou feridos.

“A Câmara vai trabalhar junto à Prefeitura para tentar amenizar os prejuízos dos pescadores e  proprietários das barracas ocasionados pelo mau tempo”, informou o presidente da Casa Legislativa, vereador Jorge Curvelo (DEM).

Na próxima segunda-feira, 29 de julho, a Prefeitura de Camaçari, por meio da Secretaria de Desenvolvimento da Agricultura e Pesca (Sedap), vai lançar o programa municipal Mais Pesca (veja abaixo detalhes do programa).

Em situações de emergência, a população deve acionar a Defesa Civil através do telefone 199. A ligação é gratuita. As pessoas podem ligar ainda para (71) 3622-7755 ou para o celular corporativo (71) 98796-9858. O atendimento funciona em regime de plantão, 24 horas por dia.

MAIS PESCA:

Assegurado pela Lei Municipal nº 1.584/2019, o programa Mais Pesca tem o objetivo de realizar ações e projetos visando a valorização, modernização e beneficiamento da pesca artesanal e conceder a pescadores e marisqueiras incentivos financeiros, além de uma série de capacitações com vista a preparar os beneficiários para melhor exercício da atividade. A cerimônia de lançamento está marcada para 9h, e vai ocorrer em frente à Associação de Pescadores, em Arembepe.

O incentivo tem como valor máximo o correspondente a 40% do salário mínimo vigente, pago mensalmente, ao longo de um ano, investimento superior ao praticado em governos passados, quando os contemplados recebiam um salário mínimo durante três meses. Com as novas regras, os futuros habilitados vão receber auxílio todos os meses e ao final de um ano terão acumulado um valor maior do que o praticado no passado, um aumento de cerca 60%, passando assim de R$2.994 (tomando como base o salário mínimo vigente) para aproximadamente R$4.800.

Print Friendly, PDF & Email