Início Destaque Após assembleia, professores da Uefs decidem manter a greve

Após assembleia, professores da Uefs decidem manter a greve

0
Foto: Divulgação/Adufs

Os professores da Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), decidiram pela continuidade da greve, durante assembleia realizada ontem (03).A categoria também aprovou a contraproposta indicada pelo Fórum das Associações dos Docentes (ADs).

Segundo a assessoria de comunicação da Associação dos Docentes da Uefs (Adufs) e conforme apurado pela Bahia Política, entre os contrários à continuidade, um dos pontos de vistas foi que há a necessidade de recuar para conseguir uma negociação produtiva com o Governo que se mostrou inflexível nas tentativas de diálogo com a categoria.

Já os favoráveis, defenderam que as declarações feitas pelo governador Rui Costa, mostra um desconforto com a mobilização que vem ocorrendo no Estado, inclusive, pelas vozes da população em geral, que tem se informado pelo movimento das formas como o Governo vem tratando as universidades estaduais.

“Desta forma, não apenas a imagem do governador estaria sendo desgastada junto à população, mas também, a do político junto ao seu partido, o Partido dos Trabalhadores (PT). Durante as manifestações ocorridas em Feira de Santana, em defesa da Educação e contra a Reforma da Previdência, foi evidente o desgaste de Rui Costa diante da sua base, quando falas de representantes da Central Única dos Trabalhadores (CUT), por exemplo, deixaram nítido o desconforto da central com as atitudes do governo que vem se alinhando mais com as políticas da extrema-direita do que com a sua base histórica de lutas sociais”, destacou a Adufs.

Contraproposta

A contraproposta indicada pelo Fórum das ADs também foi aprovada nas assembleias realizadas ontem (3) pelos docentes da Uesb e da Uesc. Os professores da Uneb apreciarão a pauta hoje terça (4).

O objetivo era de protocolar a contraproposta hoje, no gabinete do governador e nas secretarias estaduais da Educação (SEC), da Administração (Saeb) e das Relações Institucionais (Serin), além do gabinete da presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), Fabíola Mansur, e do líder da Maioria, Rosemberg Pinto. O Fórum vai reivindicar uma reunião para debater o documento.

Ainda nesta terça (hoje), juntamente com a entrega da contraproposta, os professores farão um ato público e uma plenária. A mobilização ocorreu às 14h, em frente à Secretaria da Educação em Salvador. O objetivo é discutir estratégias para a preservação da autonomia universitária. Esta mobilização é mais uma atividade planejada pelo Fórum das ADs. Os professores da Uefs também aprovaram a elaboração de uma moção em apoio ao professor Wanderlan Porto, lotado no Instituto Federal de Alagoas (Ifal). O docente sofreu um ataque à liberdade de cátedra por parte de um aluno do campus Maceió.

Greve Geral dia 14

Ainda na assembleia, os professores da Uefs aprovaram a construção da Greve Geral que está sendo organizada para o dia 14 de junho pelas centrais sindicais do país. A pauta central será a defesa do direito de aposentadoria e o repúdio à Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/19, que trata da Reforma da Previdência.

Print Friendly, PDF & Email