Jamessom Santos escreve – Desburocratização e transparencia

Jamessom Santos escreve – Desburocratização e transparencia

0
COMPARTILHAR

Dois dos maiores problemas da gestão pública é a burocratização dos serviços básicos e a obscuridade na prestação de contas a sociedade, costumeiramente são dificuldades criadas para vender facilidade, artifícios políticos para desviar atenção dos interesses individuais em detrimento do coletivo, ou simplesmente a incompetência vencendo a boa vontade.

É comum utilizar dos processos burocráticos para retardar informações de interesse social e impedir a transparência, tornando a gestão pública ineficaz e um território livre para as praticas ilícitas. Algumas prefeituras em especial as mais distantes dos polos econômicos e da capital é comum NÃO investir em tecnologia da informação, evitar procedimentos de controle diário, restringir a publicitação dos atos normativos obrigatórios e a interligação entre os agentes de fiscalização externos, assim o cidadão apenas é informado, quando é informado, pela imprensa, normalmente em casos de corrupção. A desculpa geralmente é a falta de recursos para esse tipo de investimento, o que não verdade, ao analisar nos sites de controle externo e interno o planejamento e execução orçamentária das prefeituras da região de Feira de Santana nos últimos 10 anos, é nítido que a prioridade tem sido o gasto com propaganda, um elevado custo que na maioria das vezes o intuito é a “propaganda pessoal”, esquecendo que a função da publicidade no setor público é a prestação das contas oriundas dos serviços e produtos oferecidos ao contribuinte, o resultado tem sido as punições com multas e ressarcimento ao erário por partes dos gestores.

A burocratização é um problema ainda maior nas prefeituras da RMS e proximidades, a exemplo, de Candeias, Simões Filho e Alagoinhas, ela impediu nas ultimas décadas inclusive uma maior transparência e o desenvolvimento social nessas cidades citadas, um erro contínuo também nas atuais administrações, essa demonstração comparativa entre gestões passadas e atuais mostra que isso nada tem a ver com o colapso financeiro e com a crise econômica brasileira, no máximo incompetência gerencial ou falta de criatividade para maximizar e otimizar os recursos. A falta dessa transparência e o excesso de burocracia nessas cidades é resultado das praticas heterodoxias de agentes públicos viciados.

Não é segredo que a desburocratização de todas as atividades públicas e a utilização das ferramentas tecnológicas da informação para tornar a gestão pública transparente é o caminho ideal, a solução já existe, entretanto esse caminho só será seguido com a sistemática cobrança, fiscalização e o interesse do cidadão desde o planejamento a execução.

Jamessom da Silva, Graduado em Gestão Pública, pós-graduando em Gestão Pública Municipal-UFBA.

Jamessom Santos

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA