Jamessom da Silva – Lula o réu, seus seguidores e sua condenação

Jamessom da Silva – Lula o réu, seus seguidores e sua condenação

1
COMPARTILHAR

A condenação do ex-presidente Lula na Lava Jato, no caso do triplex do Guarujá/SP coloca fim a qualquer dúvida quanto ao caráter delituoso do mesmo, seus métodos foram destrinchados durante as investigações da operação da Policia Federal, e o que se viu foi o uso do dinheiro público para enriquecimento próprio e a sustentação de um sistema político corrupto.

Mas o que chama atenção nesse processo que condenou o ex-presidente a 9 anos e 6 meses de prisão e a perda dos direitos políticos, é a sua defesa, não a defesa técnica, formada pelos seus advogados e seus grandes escritórios de advocacia,  mas sim a defesa apaixonada e ineloquente de seus correligionários e militantes, é doentio, um especialista em psiquiatria facilmente conseguiria diagnostica-los com Síndrome de Estocolmo. “Síndrome de Estocolmo é o nome dado a um estado psicológico particular em que uma pessoa, submetida a um tempo prolongado de intimidação, passa a ter simpatia e até mesmo sentimento de amor ou amizade perante o seu agressor. A síndrome de Estocolmo parte de uma necessidade, inicialmente inconsciente”. Os ataques do réu aos promotores, polícia federal e ao Juiz Sergio Moro é uma demonstração de total desrespeito as instituições e a democracia, o ex-presidente torna-se hoje um elemento de alta periculosidade, e a sua prisão torna-se justificada para manutenção da ordem publica, apesar de não ter mais o poder de mobilização e sem os recursos para tal, ele continua disseminando a fragilização a essas instituições..

A condenação é o primeiro passo, corrobora para os bons exemplos e afastar o sentimento de impunidade que tanto atrai gente ruim para política.   Não devemos torcer ou comemorar a destruição de um homem, mas é importante apoiar e cobrar da justiça às punições adequadas.

Jamessom da Silva, Graduado em Gestão Pública, Pós-Graduando em Gestão Pública Municipal-UFBA.

1 COMENTÁRIO

  1. Um dia eu acreditei nesse homem e via nele a esperança de dias melhores, mas a verdade veio a tona, o pai dos pobres é o comandante-em-chefe da quadrilha que assaltou o Brasil.

DEIXE UMA RESPOSTA